Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A moda e a ecologia: novas abordagens das marcas

por Mäyjo, em 08.09.19

A Zara, à semelhança de outras marcas, como a C&A,por exemplo, tem já uma estratégia de cariz ambiental, onde procuram apresentar uma maior preocupação com as diferentes áreas do ambiente, nomeadamente à água.

Assim, o novo editorial da Zara apresenta-se com essa preocupação, referindo que o projeto "Care for Water”é o começo de uma ação/projeto de apoio à parceria com Water.org, para criar um impacto positivo na água, em comunidades de cultivam algodão ecologicamente, o chamado algodão orgânico.

Imagem1.pngFonte: Zara

 

Menciona que todas as peças de vestuário foram produzidas tendo em atenção uma correta gestão dos recursos hídricos, através do uso de materiais e tecnologias que ajudam a reduzir o consumo de água e a preservar os recursos de água doce.

 

Imagem2.pngFonte: Zara

 

Fundada por Gary White e Matt Damon, a Water.org é uma organização global sem fins lucrativos que ajuda as pessoas a terem acesso a água potável e saneamento através de financiamento acessível, com pequenos empréstimos.

O grupo Inditex desenvolve esta parceria com a Water.org desde 2015, e já apoiaram mais de um milhão de pessoas no acesso a água potável ou a saneamento melhorados.

Através deste projeto, a ZARA apoia a Water.org a ampliar o poder do microcrédito para os produtores de algodão orgânico que participam do programa Organic Cotton Accelerator (OCA) em Madhya Pradesh (Índia), permitindo que eles resolvam as suas necessidades domésticas de água e saneamento.

 

WATER.ORG PROGRAMME

 

A marca refere que todas as peças de vestuário desta coleção foram produzidas com algodão orgânico. As técnicas de agricultura natural usadas para produzi-lo usam apenas fertilizantes e pesticidas naturais, um processo favorável à água que ajuda a preservar os recursos de água doce.

 

20190907_water_06b.jpgFonte: Zara

 

As fábricas de “Descarga Líquida Zero” (Zero Liquid Discharge factories) permitem recuperar e reciclar água, reduzindo ao mínimo a água consumida durante o fabrico das roupas.

 

 

Fonte: https://news.zara.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59

Starbucks usa café produzido de forma sustentável

por Mäyjo, em 26.08.15

Starbucks Header

Eu sei que  você acredita em proteger os recursos que as pessoas precisam para prosperar.

É por isso que eu queria compartilhar algumas notícias de um feito notável da Starbucks Coffee Company, que compartilha essa visão de um planeta saudável e sustentável.

No início de abril, a Starbucks anunciou que, como resultado de uma parceria de 15 anos, agora 99% do abastecimento do seu café é eticamente correto. Isso significa que o café é cultivado de forma sustentável, utilizando as melhores práticas sociais e ambientais que beneficiam os agricultores e suas famílias. 

Normas inovadoras da Starbucks estão sendo aplicados na sua cadeia de fornecimento nos quatro continentes, e isso é apenas o começo. Essa transformação irá influenciar toda a indústria de café. 

Saudamos a Starbucks, por liderar o caminho para um mundo mais sustentável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:50

MARCA DR.BRONNER’S E KIVA LANÇAM NOVA CAMPANHA PARA FINANCIAR MICROCRÉDITO A AGRICULTORES

por Mäyjo, em 13.07.15

oleo palma_SAPO

A Dr. Bonner’s, empresa familiar responsável pelo sabão natural mais vendido da América do Norte, juntou-se à Kiva para financiar microcrédito a agricultores da Serendipalm, empresa do Gana que é a principal fornecedora de óleo de palma biológico e de comércio justo no mundo.

“Os agricultores da Serendipalm estão a mostrar ao mundo que o óleo de palma pode ser produzido de forma sustentável, sem destruir florestas, sem destruir habitats de espécies em perigo ou atropelar os direitos à terra das populações nativas”, o presidente da Dr. Bronner’s. “Através da expansão do nosso programa de empréstimos seedling, esperamos ajudar os agricultores da Serendipalm a aumentar a sua produção e os seus rendimentos – contribuindo em última análise para uma melhor qualidade de vida através do modelo de comércio justo”, disse David Bronner, presidente da empresa.

A campanha chama-se Seedlings for Small Farmers, decorre desde 23 de Abril e levará a Kiva a conceder empréstimos com 0% de juros aos pequenos agricultores da Serendipalm, para que estes possam adquirir variedades de mudas – plantas jovens – de palmeiras-de-óleo mais produtivas e expandir a sua área de cultivo. A Dr. Bronner’s compromete-se a igualar o montante de cada financiamento angariado pela Kiva, duplicando assim o financiamento disponível para os agricultores.

Apesar de a Serendipalm ter já anteriormente disponibilizado empréstimos aos agricultores, explica a Dr. Bronner’s em comunicado, a parceria com a Kiva permitirá uma expansão significativa do programa. As mudas adquiridas e plantadas hoje resultarão numa fonte de rendimento de longo prazo e segura para os agricultores durante décadas.

O fruto da palmeira-de-óleo biológica produzido pelos agricultores que beneficiem deste programa será vendido à Serendipalm que, por seu lado, produz óleo de palma biológico e de comércio justo e apoia a comunidade local através do Fair Trade Fund. Este fundo é o principal veículo para apoiar projectos de desenvolvimento da comunidade local e é financiado pelas vendas da Serendipalm a clientes como a Dr. Bronner’s e outras marcas que partilham os mesmos ideais.

A Kiva é a maior plataforma mundial de financiamento colectivo para o bem social. A Serendipalm foi fundada em 2007, quando a Dr. Bronner’s se comprometeu a obter todas as suas principais matérias-primas de fontes certificadas biológicas e de comércio justo, trabalhando exclusivamente com pequenos agricultores.

Foto: shankar s. / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:15

Quintas urbanas

por Mäyjo, em 31.01.15

Esta fazenda urbana produz  £6.000 (libras) de alimentos por ano.

10940609_981568218527629_4530280447528548475_n.jpg

Será que não conseguíamos produzir muito mais comida numa área urbana?

Uma quinta familiar de 4.000 metros quadrados, em Pasadena, Califórnia "não só alimenta uma família, mas revoluciona a ideia do que pode ser feito num lugar muito improvável – no meio de uma cidade."

A história pode ser vista no vídeo em baixo:

 Todos nós precisamos de começar a “fazer crescer” a nossa própria comida!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:48

Agricultura biológica - algumas dicas muito básicas

por Mäyjo, em 09.12.14
Horta experimental em mandala
Estas são umas dicas mesmo muito básicas, de principiante para principiante em agricultura biológica! Se já é entendido na matéria, por certo não vai aprender aqui, mas pode dar as suas sugestões e correções em comentário.

O princípio fundamental da agricultura biológica  é o respeito pela natureza e a estrita proibição de pesticidas ou adubos químicos de síntese. O solo é também um dos pilares fundamentais: ao contrário da agricultura "tradicional" que empobrece e mata o solo, com a prática da agricultura biológica o solo é enriquecido. Toda a matéria orgânica não consumida é devolvida ao solo (e mesmo parte da consumida: o estrume). Com compostagem ou sem compostagem (adubação verde).

A agricultura biológica baseia-se na biodiversidade: para além de  certas plantas atuarem como "defensoras" ou "ajudantes" de outras (consociações), se ocorrer uma devastação de uma espécie, por doença, praga ou intempérie, há uma grande probabilidade de outras espécies resistirem e não haver grandes perdas.

 
Abelhão na for da couve
 A agricultura biológica depende de uma miríade de insetos polinizadores, como as abelhas, e de insetos predadores de outros insetos "vegetarianos", cujo exemplo paradigmático é a joaninha, uma feroz devoradora de pulgões e outras pragas que atacam as plantas. Por isso, e porque a joaninha é extremamente sensível e só aparece onde não há aplicação de pesticidas, ela é usada como símbolo na agricultura biológica. Para os atrair, certas flores (como os cravos-de-tunes) e as plantas aromáticas  são fundamentais.
 
(texto extraído daqui, onde também falei de agricultura natural e ecológica)
 
Para quem se quer iniciar na agricultura biológica, ficam aqui algumas dicas básicas, bem como algumas fotos da minha primeira horta, que iniciei em Dezembro de 2011. Mas sem dúvida que um pequeno curso teorico-prático é uma grande ajuda para começar bem. 

 
Canteiro coberto com palha
Solo: Para além das características físicas (textura, estrutura,...), ou químicas (pH, nutrientes - azoto, fósforo, potássio,...), as características biológicas do solo são importantíssimas. O solo é composto por materiais inorgânicos, ar, água e matéria orgânica.  A matéria orgânica, essencial, é composta pela parte já decomposta (humus), pela parte em decomposição (chamada parte ativa), pelos restos frescos de seres vivos (folhas, raízes, animais) e pelos próprios seres vivos. A olho nu, pode-se avaliar o seu potencial biológico pela cor - quanto mais escuro, mais matéria orgânica (por norma).
 
Não se deve revolver o solo a mais de 10 cm de profundidade (há aqui algumas discordâncias, mas ficam para outra altura), porque isso destrói a sua biocapacidade. Também não se deve deixar o solo que foi revolvido às intempéries: sempre que possível, deve ser coberto com palha ou outras plantas usadas para a adubação verde, protegendo-o do sol e da erosão.
 
Fertilização do solo: através do estrume ou composto (resultante da compostagem doméstica ou industrial de resíduos orgânicos). Deve-se ter cuidado com a altura da fertilização, especialmente se for feita com estrume, pois se as plantas estiverem já semeadas ou plantadas não deve ser usado o estrume, e o composto só com precaução, dependendo da espécie e da fase (vegetativa ou reprodutiva). O estrume deve ser sempre usado algum tempo antes da plantação, para não causar choque às plantas e para dar tempo que bactérias fecais nocivas morram.
 
Cravos-de-tunes e cosmos
Adubação verde: certas plantas são muito úteis para enriquecer o solo através da sua trituração e incorporação no mesmo, especialmente leguminosas, que vivem em simbiose (nas raizes) com micro-organismos (Rhizobium) que sintetizam compostos de azoto a partir do azoto do ar. Servem também para cobrir o solo protegendo-o.
- A tremocilha, uma leguminosa, é um bom exemplo para adubação verde, que deve ocorrer após a floração, mas antes da vagem ter sementes desenvolvidas. Corta-se, deixa-se secar cobrindo a terra, e  depois incorpora-se na mesma.
- Os cravos-de-tunes (ou cravos xaropes) são óptimos para bordadura e para afastar certas pragas. Devem ser enterrados na terra após o seu ciclo anual, pois ajudam a manter afastados do solo nemátodos indesejáveis.
 
Borboleta-zebra nas zínias
Biodiversidade: A biodiversidade na horta é essencial para que haja maior resistência a picos de clima ou a pragas. Mesmo as ervas a que chamamos daninhas ou infestantes têm o seu papel: umas são comestíveis (beldroegas, ançarinha-branca), outras enriquecem a terra (trevo), outras são excelentes "pesticidas" (urtiga), outras aceleram a compostagem (urtiga, consolda) e muitas são medicinais (dente-de-leão, labaça, quelidónia-maior, carrajó, urtiga).
Os melros e estorninhos comem caracóis e lesmas,  mas precisam de ser chamados com certas árvores de fruta, como por exemplo ameixoeiras. Há que deixar uma parte dos frutos para os pássaros que ajudam a combater certas pragas; mais vale perder parte dos frutos do que a produção. 
 
consociação alho-francês, alface, cenoura, couve
Consociação: aproveitamento do mesmo terreno, por duas ou mais culturas diferentes, na mesma época. Muitas espécies podem ser associadas entre si, porque se beneficiam mutuamente - consociações favoráveis ou positivas. Mas também há consociações  desfavoráveis ou negativas.
As flores e plantas aromáticas são essenciais nas hortas para atrair insectos úteis e para repelir pragas.  Veja tabelas de consociações aqui, e relacionados com plantas aromáticas e insetos no Cantinho das Aromáticas  e exemplos aqui.
- A hortelã é uma planta muito útil para afastar insectos indesejáveis, mas deve estar plantada em vaso porque é invasora.
- A erva príncipe é um óptimo repelente de insectos indesejáveis (sobretudo para quem tem cães - ver aqui), e dá para fazer um chá delicioso, mas é bastante sensível ao frio.
 
Calêndula
 
-  A calêndula, usada em bordaduras, além de atrair insetos úteis, é repelente de certos insetos nefastos para a horta, e tem ainda a vantagem de ter pétalas comestíveis, que embelezam qualquer salada (usadas sobretudo em "alta cozinha").
- Os cravos-de-tunes (ou cravos xaropes) são ótimos para afastar certas pragas incluindo nemátodos indesejáveis no solo. Podem ser enterrados na terra após o seu ciclo anual.
- Nos pomares, a cobertura do solo com trevo ou azevém é indicada.
 
Bordadura com flores e aromáticas
 
Sebes: Vedações de árvores e arbustos que cercam campos agrícolas. São utilizados na agricultura biológica para fomentar a biodiversidade e proteção da erosão causada pelo vento e prevenção da perda de água. A sua altura depende da dimensão da horta, e não a deve ensombrar demais, pois precisa de sol.
 
Bordaduras:  pequenas sebes ou remates de canteiros com plantas aromáticas ou com flores, com a função de repelir insectos indesejáveis e atrair insectos polinizadores (úteis). Por exemplo, de  alecrim, alfazema,  tomilho,  zíniascosmoscravos-de-tunes, etc. (ver exemplo aqui).

Colhido na horta 
Rotação de Culturas: Uma das práticas ancestrais na agricultura, fundamental na produção em modo biológico, que implica uma alternância de culturas conforme a família, espécie e caraterísticas da planta, de forma a enriquecer o solo e a melhorar as colheitas (veja mais aqui). *
 
Mais informação sobre agricultura sustentável aqui.
 
Fonte: Sustentabilidade é Acção http://sustentabilidadenaoepalavraeaccao.blogspot.com/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:39

Geoff Lawton - "Permacultura Urbana"

por Mäyjo, em 12.11.14

Pode ver mais um dos excelentes vídeos da coleção "Surviving Collapse" de Geoff Lawton, desta vez sobre agricultura urbana (em pequenos espaços), clicando no link (e eventualmente registando-se com um e-mail):
Imagem do quintal de Angelo Eliades, obtida aqui

Para além do vídeo, pode ainda descarregar um folheto sobre permacultura urbana, e onde consta a planta (abaixo) do quintal de 64 m2 que aparece na primeira metade do filme. 
Trata-se do quintal de Angelo Eliades (site Deep Green Permaculture), onde ele produziu, no primeiro ano, 133 kg de alimentos e no quarto ano 234 kg (ver aqui). 
É impressionante a abundância que a permacultura permite nos pequenos espaço, usando planeamento, diversidade (vejam aqui a lista das mais de 150 espécies que ali cultiva), e claro,  o conhecimento das espécies, da sua relação e do funcionamento da natureza (sol, solo, água, vento, ... ). Não percam o vídeo enquanto está on-line.
Conclusão de Angelo Eliades: "Considerando que leva uma média de 2 horas por semana para manter tal sistema, e que o mesmo é isento de químicos e ervas daninhas e quase completamente livre de pragas, esta é uma prova viva de que a Permacultura realmente funciona!"
Planta do quintal de Angelo Eliades, obtida aqui. Clique para aumentar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:43

Transgénicos: a destruição da biodiversidade e da soberania

por Mäyjo, em 31.10.14
Imagem obtida aqui
No Ano Internacional da Agricultura Familiar (e sempre), é preciso ajudar as pessoas a perceberem a destruição que os transgénicos causam à agricultura familiar, à biodiversidade e à soberania alimentar. A "Segunda Revolução Verde", como lhe chama Vandana Shiva (no vídeo), liderada pela ambiciosa e perigosa multinacional Monsanto, é a antítese da agricultura familiar.
 
A ONU já comprovou que a agricultura familiar é a única que pode fazer frente à pobreza. Por outro lado, a agricultura dos transgénicos e dos agroquímicos irá agravar o fosso entre ricos e pobres, acabar com a soberania alimentar dos povos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:05

2014 - Ano Internacional da Agricultura Familiar

por Mäyjo, em 31.01.14

 

Em contramão da ganância e ambição de lucro que tem pautado a expansão dos alimentos transgénicos, da agricultura química e das monoculturas extensivas, o Relatório de 2013 da ONU (UNEP) “Pequenos Agricultores, Segurança Alimentar e Meio Ambiente”, conclui que "Investimento em pequenos agricultores é a melhor maneira de superar a pobreza".
Para promover a agricultura familiar, a ONU declarou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, com os seguintes objetivos:

"1. Apoiar a formulação de políticas que promovam a agricultura familiar sustentável, incentivando os governos a estabelecerem o ambiente propício (políticas favoráveis, legislação adequada, planeamento participativo para um diálogo sobre políticas, investimentos) para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar.
2. Aumentar o conhecimento, a comunicação e consciencialização pública;
3. Obter um melhor entendimento das necessidades, potencial e restrições da agricultura familiar, e assegurar apoio técnico.
4. Criar sinergias para a sustentabilidade." (fonte e mais informação aqui)
«ANO INTERNACIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR

Imagem de FAO (obtida aqui)
O Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF) 2014 visa a aumentar a visibilidade da agricultura familiar e dos pequenos agricultores, focalizando a atenção mundial em seu importante papel na erradicação da fome e pobreza, provisão de segurança alimentar e nutricional, melhora dos meios de subsistência, gestão dos recursos naturais, proteção do meio ambiente e para o desenvolvimento sustentável, particularmente nas áreas rurais.


O objetivo do AIAF 2014 é reposicionar a agricultura familiar no centro das políticas agrícolas, ambientais e sociais nas agendas nacionais, identificando lacunas e oportunidades para promover uma mudança rumo a um desenvolvimento mais equitativo e equilibrado. O AIAF 2014 vai promover uma ampla discussão e cooperação no âmbito nacional, regional e global para aumentar a conscientização e entendimento dos desafios que os pequenos agricultores enfrentam e ajudar a identificar maneiras eficientes de apoiar os agricultores familiares.

O QUE É AGRICULTURA FAMILIAR?

A agricultura familiar inclui todas as atividades agrícolas de base familiar e está ligada a diversas áreas do desenvolvimento rural. A agricultura familiar consiste em um meio de organização das produções agrícola, florestal, pesqueira, pastoril e aquícola que são gerenciadas e operadas por uma família e predominantemente dependente de mão-de-obra familiar, tanto de mulheres quanto de homens.

Imagem obtida aqui
Tanto em países desenvolvidos quanto em países em desenvolvimento, a agricultura familiar é a forma predominante de agricultura no setor de produção de alimentos.

Em nível nacional, existe uma série de fatores que são fundamentais para o bom desenvolvimento da agricultura familiar, tais como: condições agroecológicas e as características territoriais; ambiente político; acesso aos mercados; o acesso à terra e aos recursos naturais; acesso à tecnologia e serviços de extensão; o acesso ao financiamento; condições demográficas, econômicas e socioculturais; disponibilidade de educação especializada; entre outros.

A agricultura familiar tem um importante papel socioeconômico, ambiental e cultural.

POR QUE A AGRICULTURA FAMILIAR É IMPORTANTE?

A agricultura familiar e de pequena escala estão intimamente vinculados à segurança alimentar mundial.

A agricultura familiar preserva os alimentos tradicionais, além de contribuir para uma alimentação balanceada, para a proteção da agrobiodiversidade e para o uso sustentável dos recursos naturais.
A agricultura familiar representa uma oportunidade para impulsionar as economias locais, especialmente quando combinada com políticas específicas destinadas a promover a proteção social e o bem-estar das comunidades.»

Fonte: FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura)/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D